Consumir cerveja pode evitar o aumento de peso e previne Alzheimer e a gripe

Gearbest Cool Cupons e Flash Deals promotion

Segundo vários estudos feitos por profissionais de saúde em diversos locais do mundo.

A cerveja para além de emagrecer, pode reduzir os níveis de colesterol, prevenir o Alzheimer e combater a gripe.

Um estudo da Universidade de Barcelona defende que beber cerveja diariamente evita o aumento de peso, previne a diabetes, a hipertensão arterial e problemas cardíacos. No entanto, estes benefícios apenas são obtidos com pequena quantidade de cerveja por dia, uma caneca.

“A cerveja não é culpada pela obesidade, pois tem cerca de 200 calorias por caneca, o mesmo que um café com leite”, afirma a médica Rosa Lamuela, responsável pela investigação feita com 1249 homens e mulheres acima de 57 anos.

Na verdade, aquilo que engorda são os petiscos gordurosos que acompanham a cerveja, nomeadamente salgados e fritos.

Carlos Vilaça, endocrinologista, diz que esta investigação reforça os benefícios desta bebida à base de cevada e com baixa graduação alcoólica: “A cerveja tem baixo índice glicêmico e é constituída de elementos poderosos, como antioxidantes, ácido fólico, ferro, minerais e vitaminas, que previnem a ocorrência de doenças cardiovasculares, melhora índices do bom colesterol e previnem pedras nos rins por estimular o fluxo urinário”.

Os especialistas acresceram que o consumo regular de cerveja deve ser moderado e acompanhado de uma alimentação saudável e exercício físico.

Um estudo japonês, publicado na revista científica Medical Molecular Morphology, comprova que o lúpulo contido na cerveja tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes capazes de inibir a multiplicação do vírus respiratório e prevenir a pneumonia.

Um estudo finlandês descobriu que a cerveja pode reduzir em 40% os riscos de desenvolver pedras nos rins. Mas lembra-te, o consumo deve ser sempre moderado pois em excesso a cerveja pode agravar o quadro. As mulheres devem consumir até uma lata da bebida por dia e os homens até duas latas.

De acordo com uma investigação de uma universidade espanhola, o efeito sedativo da cerveja pode tratar a insônia e outros distúrbios de sono.

O lúpulo aumenta a atividade do neurotransmissor GABA, substância com um efeito sedativo que reduz a ação do sistema nervoso e prepara o organismo para adormecer.

Segundo um estudo holandês, publicado na revista científica The Lancet, as pessoas que ingerem cerveja regularmente apresentam taxas de vitamina B6 cerca de 30% mais altas comparadas com outras que não têm o hábito de consumir esta bebida.

Quando comparadas a pessoas que bebem vinho frequentemente, a concentração da vitamina chega a ser duas vezes superior.

A vitamina B6 é responsável por ajudar a eliminar a homocisteína, substância que contribui para o desenvolvimento de doenças cardiovascular quando existente em excesso.

Uma pesquisa do Centro de Pesquisa Cardiovascular de Barcelona comprovou que a cerveja protege o sistema cardiovascular e reduz a cicatriz no coração provocada por um enfarte agudo do miocárdio.

A cerveja, principalmente a escura, contém uma grama de fibra solúvel por garrafa. As fibras são responsáveis por reduzir os níveis de colesterol LDL e reduzir o risco de doenças cardiovascular.

Segundo um estudo publicado na revista científica Annals of Nutrition and Metabolism, o consumo moderado de cerveja beneficia o sistema imunitário e torna o organismo mais resistente a várias infeções.

A pesquisa revelou que depois de um mês, o consumo diário de uma lata de cerveja para mulheres e duas para os homens é capaz de aumentar a concentração de células de defesa do sistema imunitário, elevando a produção de anticorpos.

Um estudo do Kings College, em Londres, veio provar que a cerveja fortalece a saúde dos ossos e do tecido conjuntivo, dado que o silício, presente na bebida, melhora a densidade óssea.

Finalmente, um grupo de cientistas da Universidade de Loyola, nos Estados Unidos, reviu 34 estudos que associam o consumo de álcool e problemas cognitivos, analisando ao todo 365 mil voluntários.

Os resultados demonstraram que aqueles que bebem cerveja moderadamente apresentam um risco 23% menos de desenvolver Alzheimer e doenças semelhantes, quando comparados com pessoas que nunca ingerem a bebida.

Partilhar:


Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.